Papagaio I

papagaio, por Daniel Carranza

Que surpresa causa ao dono o momento em que seu papagaio lhe diz uma palavra nova, que por ele não foi ensinada.

A descoberta de que não são um só — unha e carne, unidos pelo vocabulário — traz alguma preocupação ao lar: é preciso vedar as janelas para que a falta de maneiras da vizinhança não entre em nossa casa.

E quando o dono e sua ave moram na montanha? Sem alma viva a quem se possa atribuir a novidade na língua do bicho? Nesse caso, a surpresa é maior e a solidão mais definitiva.

E o dono nunca vai saber se o papagaio é ele; ou se é feito de penas todo homem que repete as verdades que não são suas.

Anúncios

3 Respostas to “Papagaio I”

  1. Taísa Says:

    Esse desfecho foi fucking F.

  2. Taísa Says:

    Mas confesso que essa ilustração é um foto aflitiva.

    (ele está de chuteiras?!)

  3. Taísa Says:

    pouco e não foto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: